Caminhoneiros trabalharam normalmente durante a pandemia

Caminhoneiros trabalharam normalmente durante a pandemia

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no email
Email

Em meio a uma pandemia, é de se esperar que ocorra falta de produtos nas prateleiras de supermercados, mas não foi o que ocorreu no Brasil.

Caminhoneiros continuaram e ainda continuam trabalhando normalmente na atual situação mundial. A logística de abastecimento não parou e vem atravessando a pandemia sem o desabastecimento de supermercados, falta de combustível ou de insumos hospitalares.

A vitória é mérito dos caminhoneiros e parcerias

O ministro da infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, afirmou no dia 2 de julho que a vitória na continuidade dos abastecimentos se deve graças aos caminhoneiros e aos parceiros que puderam dar continuidade ao trabalho.

“Estamos atravessando a pandemia sem nenhum problema de abastecimento, com prateleiras cheias nos supermercados. Não faltou combustível, gás de cozinha ou o insumo médico e isso foi uma vitória silenciosa. Acredito que essa foi a maior vitória nesse primeiro semestre, garantir o abastecimento em uma situação de pandemia”, disse o ministro durante videoconferência para apresentar o balanço das atividades da pasta nos primeiros seis meses deste ano.

As parcerias referem-se à solidariedade com os caminhoneiros

Em época de pandemia, o governo solicitou que as pessoas ficassem em suas casas para não disseminar a contaminação do vírus, porém o setor de logística não poderia parar, uma vez que supermercados e, principalmente, farmácias deveriam se manter abastecidos. Nessa situação, muitos restaurantes de beira de estrada foram obrigados a fechar as portas até a segunda ordem e, com isso, os caminhoneiros se viram sem lugares para fazer suas refeições. É aí que as parcerias entram.

Diversas concessionárias que administram rodovias pelo país e grupos de pessoas distribuíram marmitas nas beiras das estradas para que os caminhoneiros pudessem seguir viagem aliviados da fome e da preocupação de ficarem sem ter o que comer. Kits de higiene também foram entregues.

Para apoiar os caminhoneiros, o Ministério da Infraestrutura lançou duas novidades no aplicativo Infraestrutura BR que auxiliam a encontrar serviços disponíveis como restaurantes, borracharias e oficinas para os motoristas que estão na estrada. O aplicativo também disponibiliza um questionário para poder avaliar as condições de saúde do motorista.

“Esse aplicativo nasceu em 2019, com a ideia da tabela de frete, mas agora estamos usando como um canal de comunicação com o caminhoneiro”, disse o secretário nacional de Transportes Terrestres, Marcello da Costa.

Obras de rodovias também não pararam na pandemia

O ministro Tarcísio Gomes de Freitas aproveitou a videoconferência para informar que a pasta conseguiu manter o planejamento para o período estabelecido no final do ano passado, com a conclusão de obras e entregas parciais nos primeiros seis meses deste ano.

Caminhoneiros ganharam estradas novas mesmo com a pandemia
Caminhoneiros ganharam estradas novas mesmo com a pandemia

De acordo com o ministério, no primeiro semestre de 2020, R$ 3,5 bilhões foram investidos em obras. O Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) concluiu 129 quilômetros (km) de rodovias duplicadas, pavimentou 88,5 km e fez novas restaurações em 110,6 km.

E graças à não paralização das obras, os caminhoneiros saem ganhando! Uma vez que continuam recebendo rodovias mais seguras para rodar.

Diante de trabalhos que seguiram durante a pandemia, alguns setores saíram ganhando, um deles é as concessionárias de caminhão. Veja a seguir.

Venda de caminhões subiu 85% em junho

Depois da queda da economia diante da pandemia do coronavírus, setores como o de venda de veículos vêm se recuperando.

A Fenabrave (Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores) publicou no dia 2 de junho um informativo sobre o aumento de emplacamentos das fabricantes de veículos nacionais.

Sobe a venda de caminhão durante a pandemia
Sobe a venda de caminhão durante a pandemia

Se tratando de caminhões, 8.762 foram emplacados no mês de junho, 85,05% a mais do que em maio, quando foram vendidos 4.735 caminhões. Em comparação a junho do ano passado (2019) as vendas também cresceram, quando foram emplacados 7.804 unidades, 12,28% menos do que em junho desse ano.

A Mercedes-Benz sai na frente como a montadora que mais vende caminhões no Brasil. Nos seis primeiros meses do ano 12.304 caminhões da marca foram emplacados, e no mês de junho somaram 2.727 caminhões, com isso, pode-se concluir que a cada 10 caminhões vendidos no Brasil, três são Mercedes-Benz.

Qual a sua opinião sobre esta matéria?

Você também pode gostar

Sucesso!

Seu cadastro foi finalizado com sucesso!
Aguarde novidades da LDP Peças em seu e-mail.